Search
Search

O cafezinho do Rihan

O prédio é o Edifício Santa Cruz, Andradas 1.234, Porto Alegre. Onde hoje é a Panvel do Calçadão, ficava o Café Rihan, uma grande lancheria e cafeteria. O auge foi nos anos 1970, quando chegava a vender cinco mil cafezinhos por dia.

Foto postada por Vilson Peralta

Era ponto de encontro de políticos, governantes, deputados e vereadores. O Rihan servia uma minipizza que nunca mais encontrei. Nem tanto pela massa, mas por um molho especial.  

Turistas, fora!

Mais uma cidade europeia quer ver turistas estrangeiros pelas costas. Um dos destinos de férias mais populares na Espanha, Barcelona, anunciou que proibirá o aluguel de apartamentos para turistas. A nova medida deve entrar em vigor até 2028.

Movimentos semelhantes, ou pelo menos rejeições semelhantes pipocam por toda a Europa. Preferem perder renda com o turismo que prejudicar os nativos e preservar as cidades.

Turista é predador, já falei aqui. Pois suja tudo por onde passa.

O futuro dos transplantes

O transplante de pele vai ser o grande negócio da cirurgia reparadora no futuro. Essas tatuagens que recobrem corpos de homens e mulheres jovens, um dia, serão malditas por eles mesmos. Pelo menos em boa parte dos casos.

banrisul

O início dessa febre no Brasil é assaz interessante. Os pioneiros foram os apenados, que tatuavam nos dedos das mãos as palavras AMOR e ÓDIO.

As borboletas

Em seguida vieram os artistas, mulheres jovens e homens e adolescentes. Os últimos foram senhoras de meia idade, que aqui e acolá mandavam tatuar discretos ideogramas japoneses ou chineses de forma a identificá-las com algo misterioso para mortais comuns. Em seguida chegou a vez das borboletas.

A evolução GLTB etc

Transcrito de uma edição de junho de 2017 do portal G1: “Saí de uma condição de homem hétero para uma mulher lésbica. Depois de 30 anos de sofrimento, eu estou podendo existir. Quando eu contei, as pessoas diziam: ‘Nossa, você era o exemplo de macho alfa’.”

Flagrantes da vida real

De um colecionador de frases de motel: “Antes tarde do que nunca”.

O real motivo

Quando era governador do Estado, Germano Rigotto me convidou para participar da comitiva que iria para o Japão. Recusei educadamente. Viajar para conhecer hotel e aeroporto não é bem minha praia. Oito cidades do Japão visitadas em quatro dias, 80 horas em voo ou em aeroportos em outros três dias.  

https://cnabrasil.org.br/senar

Dito e feito

E tem a história do cara que fumava muito e o médico mandou ele cortar os cigarros pela metade. Chegou em casa, pegou a tesoura e cortou o maço ao meio.

Ares perigosos

Pesquisas revelam um impacto particular da mudança do clima notada em anos recentes: ela afeta diretamente os voos — tanto de aves migratórias como de aviões que cruzam o oceano Atlântico. Com o aquecimento global e a antecipação da mudança de estações, os pássaros estão fazendo suas viagens mais cedo. Portanto, chegando aos lugares onde se alimentam antes que a comida esteja à disposição.

Já os aviões, especialmente os que fazem voos transatlânticos no hemisfério norte, sofrem turbulências cada vez mais severas. Não é de hoje. Matéria da revista Nexo já falava desses novos ares em 2017.

Banrisul e a safra

O Banrisul lançou o seu Plano Safra, com disponibilidade de R$ 12,2 bilhões em crédito para aplicação nas linhas de custeio, investimento, comercialização, industrialização e capital de giro — o maior volume de recursos já liberado na história do Banco. Cerca de 70 mil produtores rurais já contam com limites pré-aprovados para acesso às linhas de crédito ofertadas.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre