Search
Search

Os cinco Brasis

Existem quatro Brasis. Um que está calmo do ponto de vista econômico; o Brasil político, que nos causa estupefação com o atropelo da Constituição; um terceiro Brasil, que é um vulcão adormecido; e um quarto, que é como um vulcão adormecido. No entanto, nas estranhas é um fervedouro de lava pronta para subir o cone e causar destruição.

https://www.veloe.com.br/banrisul?utm_source=fernando_albrecht&utm_medium=p_blog&utm_campaign=tag_banrisul&utm_content=escala_600x90px

O quinto é um enigma, o que realmente a população e os eleitores estão pensando do governo. Mesmo que as pesquisas não abarquem com fidelidade o pensamento coletivo, nem elas estão vindo a lume para termos uma ideia, por vaga que seja. O que sabemos é que em torno de 70% dos brasileiros dependem dos bolsas-famílias da vida.

Ame-o ou deixe-o

Sabemos que a classe média, ou o que restou dela, tem ojeriza a Lula & Cia. Mas em que proporção, e em quais regiões do país? Posto como está, o mapa da situação nem mesmo capta se essa é uma realidade palpável.

Ah, as eleições municipais vão nos dar uma ideia, ao votar ou não nos candidatos da esquerda, dirão vocês. Não sei. Eleição municipal foca mais em nomes, não necessariamente em ideologias, embora elas influenciem.

A esfinge eleitoral

Ao contrário de anos anteriores, esta de 2024 ainda é uma solene incógnita. Sabemos que a esquerda, o PT em especial, tem seus redutos em regiões como o Nordeste.

https://cnabrasil.org.br/senar

Mas aqui vou usar uma frase do ex-governador gaúcho Ildo Meneghetti. Ao ser perguntado qual seria o resultado do grenal disse apenas “grenal é grenal”. Parece uma frase boba, mas tem razão de ser, assim como eleição é eleição.

Quanto dura um celular?

Depende de como o trata. Carregando corretamente a bateria e não o expondo a temperaturas extremas, para começar, tem a ver com a floresta e não apenas a árvore. O tempo de vida de um celular sadio causa menos impactos ambientais e chega a um estado funcional próximo ao original, combinando reparos, atualizações de software e substituição de componentes desgastados, o que contribui sobretudo para a redução do lixo eletrônico.

De acordo com o relatório Global E-waste Monitor 2020, o Brasil é o quinto país que mais produz esse tipo de resíduo no mundo. Acumulando 2,1 milhões de toneladas em 2019 – e ficando atrás apenas da China, dos Estados Unidos, da Índia e do Japão.

O pior lixo

O lixo eletrônico já é um problemão, por mais que se dê destino correto. Já as baterias de todos os tipos são um problemão maior ainda. Imagina nas baterias dos automóveis elétricos. Se pneus já causam uma poluição tremenda, imagina baterias.

Ouvindo e falando

O mercado de smartphones usados e renovados já está em evidência. Em números redondos da consultoria IDC, 282 milhões de unidades foram vendidas no mundo todo em 2022, salto de 11,5% em relação ao ano anterior. A pesquisa aponta ainda um salto na tendência nos próximos anos.

As vendas devem chegar a 413 milhões de unidades em 2026, com taxa de crescimento anual de 10,3% e valor de mercado de US$ 99,9 bilhões, de acordo com Letícia Bufarah, gerente de marketing da Leapfone (leapfone@nbpress.com.br).

Resumo da ópera

A humanidade sempre foi relapsa no tratamento do lixo de qualquer espécie, por mais que iniciativas de reciclagem sejam comuns. Nem precisa falar no lixo plástico, e no fato de que os seres humanos já tem microplásticos na corrente sanguínea.    

Proteção de dados

O Fórum de Proteção de Dados Pessoais dos Municípios acontece nos dias 4 e 5 de março no Hotel Plaza São Rafael, de Porto Alegre. É uma parceria entre o Fórum e a Prefeitura de Porto Alegre. Mais de 130 gestores de 16 Estados, 11 capitais e 27 municípios já confirmaram presença.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre