Search
Search

Quem avisa amigo é

Garota:

– Beije-me mais uma vez assim, e eu serei sua para toda a vida.

www.brde.com.br

Namorado:

– Obrigado pelo aviso.

Mão que economiza é mão que não pede

Esse era o slogan da Caixa nos anos 1950 e 1960. Quem tem mais de 50 anos deve lembrar dos cofrinhos que os bancos distribuiam para filhos de clientes.

A gurizada botava moedas e cédulas. No passado, a palavra de ordem era “poupar”. Hoje, é “gastar”.

Natureza mucho loca

Em Portugal, na região de Arouca, existem pedras paradeiro, pedras que nascem dentro de pedras. Natural que façam parte de rituais de fertilidade.

Mundo mucho loco

As aldeias de Marco e El Marco, em Portugal e Espanha, são separadas pela menor ponte internacional do mundo, com apenas 6 metros sobre o Arroyo Abrilongo. Mas tem fusos horários diferentes.

A língua predominante é o português. Naturalmente que muitos casamentos são celebrados em cima da diminuta ponte.

Joias do cancioneiro popular

Música boa é aquela que não sai da cabeça. Tenho muitas delas na ponta da língua. Agorita mesmo lembrei de uma do anos 1950:

Meu jacarandá, meu jacarandá
Meu mundo é tão triste do lado de cá
Será que ela está, será que ela está
Por mim esperando do lado de lá

(Autoria de  Kley e Vitão, em conjunto com Gustavo Felipe Simão da Silva.)

O tempo dos otários

Sinceramente, sinto-me um otário quando saio de manhã de guarda-chuva em prontidão por causa dos avisos de chuvas fortes, alertas meteorológicos constantes nos últimos tempos. Caso de ontem, quando saí com ele e abriu um sol de rachar. Quase voltei para casa para passar um filtro solar.

https://www.veloe.com.br/banrisul?utm_source=fernando_albrecht&utm_medium=p_blog&utm_campaign=tag_banrisul&utm_content=escala_600x90px

Acredite, nada pior que vocês caminharem pelas ruas de grande fluxo e só você de guarda-chuva. Agora, se eles dizem que não vai chover, é bom se precaver levando um.

A vela

Perguntam-me se a situação do Oriente Médio vai piorar, se Israel vai atacar o Irã de alguma forma, se o Irã vai responder com ataque mais pesado, caso isso aconteça. A todos digo que a tendência é essa. Mas não dá para apostar todas as fichas porque, como falei ontem, as nações ricas farão de tudo para evitar a escalada. Porque é ruim para os negócios.

https://cnabrasil.org.br/senar

Porém

O porém de sempre é que, naquela região, é como uma vela. Você pode apagá-la. Mas se ela voltar a queimar, vai prosseguir do ponto em que parou a chama. Não tem marcha-a-ré no Oriente Médio.

Parabéns pra vocês

Fiquei deveras sensibilizado com o volume e a qualidade das mensagens de parabéns pelo meu aniversário, ocorrido dia 12 passado. Eu sabia que tinha muitos amigos e leitores. Mas não que são tantos.

Veio mensagem de tudo quanto é lado. Inclusive do exterior. A vocês, todo meu carinho.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre