Search
Search

Os bonzinhos

O ataque do Hamas que foi uma crueldade – eu vi os vídeos gravados pelos próprios terroristas matando crianças na frente dos pais -, uma crueldade sem tamanho, e a reação de Israel comprovaram, mais uma vez, que a quase totalidade da mídia internacional (em sua diversas plataformas) são de esquerda. Aí incluídos organismos como a ONU.

É uma constatação, não é juízo de valor. Eu não brigo com a notícia.

Safra da melancia

Vejo quase a totalidade dos programas e telejornais europeus, e firmei convicção após assistir estes canais por pelo menos um ano. A Deutsche Welle, a RTP portuguesa, por exemplo, são o que chamávamos em outras épocas de “melancias”, verde por fora, vermelha por dentro.

https://www.veloe.com.br/banrisul?utm_source=fernando_albrecht&utm_medium=p_blog&utm_campaign=tag_banrisul&utm_content=escala_600x90px

Essa constatação leva a concluir que não se pode confiar na imparcialidade destas redes e plataformas sob pena de ver, na melhor das hipóteses, meias verdades, quando não mentiras inteiras. Fica subjacente a absolvição do Hamas e a condenação, a priori, de Israel.

Como dizia o Macaco Simão do Jô Soares: “Não precisa explicar, eu só queria entender”.

Não confunda

Uma coisa é condenar os excessos de Israel, outra é descrever os terroristas do Hamas como coitadinhos. Como sempre, a esquerda consegue transformar bandidos em mocinhos e vice- versa.

Faz parte do DNA. Assim como odiar pessoas ou países que deram certo, Mais o antissemitismo.

Por mais que neguem, essa é a grande verdade, inclusive e principalmente no Brasil. A esquerda ama a pobreza porque é dela que saem seus militantes.

https://cnabrasil.org.br/senar

Só que…

O interessante é que esse domínio esquerdista não sensibiliza eleitores de vários países, que dão mostras também de cansaço com o politicamente correto. São de direita, conservadores ou centro-direita 21 países europeus contra 9 de esquerda.

Na América Latina, são de direita a Argentina, o Paraguai, Uruguai. Em compensação, a esquerda só fincou pé como ditaduras, como a Nicarágua e a Venezuela.

Da cana à ditadura

Nos anos 1970, quando Daniel Ortega ainda era um “revolucionário” e ditador, desde então, que assumiu o governo, a esquerda brasileira fez um mutirão para ajudar o país na colheita de cana, único e vital produto de exportação da Nicarágua. Vários gaúchos foram para lá.

PPP em Canoas

A abertura do leilão da Parceria Público-Privada (PPP) para o sistema de iluminação pública do município de Santa Maria, inicialmente previsto para a próxima sexta-feira (dia 23/2), na Bolsa de Valores B3, em São Paulo, será remarcado para uma nova data. Não houve a formalização de propostas por parte de empresas interessas em participar desta primeira disputa dentro do prazo estabelecido em edital.

Um grita mata…

…e outro grita esfola. As brigas no BBB mostram a escalada da violência dos integrantes, legítimos representantes de parte da sociedade que não foi feita para ter convívio social. E o barraco de vila agora é transmitido para todo o Brasil. É o que a casa oferece.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre