Search
Search

Momento radical

Os telejornais franceses deram destaque a uma proibição branca do uso  dos smartphones em cidade do interior. O prefeito alega que as crianças passam mais de oito horas grudados nele.

Não haverá multas nem sanções. Mas há apoio popular à medida. 

www.brde.com.br

Maioria dos entrevistados concorda com restrições da medida radical, inclusive adolescentes, embora estes perguntem o que irão fazer nas horas vagas.

Epidemia eletrônica

Não é diferente em outros países, inclusive no nosso. Sabemos que não é saudável ficar esse tempão no smartphone, porque certamente já somos dependentes eletrônicos.

https://www.veloe.com.br/banrisul?utm_source=fernando_albrecht&utm_medium=p_blog&utm_campaign=tag_banrisul&utm_content=escala_600x90px

No caso francês, o que os jovens garantem nestas horas que ganharam de volta é a grande questão. O certificado é que, a continuar neste rumo, vamos ter sérios problemas socioeducativos sem falar na queda abrupta dos níveis de atenção e concentração no mundo real. A Humanidade gosta de se prejudicar.

O que é o estudo …

Quem tem padrinho não morre pagão, diz o ditado. E quem é petista ou outro partido de esquerda, pode sonhar com uma vaga no Conselho das estatais.

Pasme: são 120 delas. Então o presidente Lula tem uma caneta poderosa só para eles.

https://cnabrasil.org.br/senar

É um emprego dos sonhos. Na maioria dos casos, precisa comparecer poucas vezes por ano. E a remuneração pelo cargo não é de se jogar fora. Nem precisa entender do negócio.

No passado, tivemos um ex-governador que aprendeu uma nova profissão com idade avançada, de “eletricista” da Itaipu Binacional. Aconteceu a mesma sorte com um ex-integrante do governo Michel Temer. 

Mas é maldade pura dizer que ele não sabia nem diferenciar 110 de 120 volts. Isso ele sabia de cor e salteado.

Imigrantes em Gramado

A Secretaria da Cidadania e Assistência Social de Gramado é o ponto de referência para a regularização da documentação dos estrangeiros que vêm a Gramado buscando novas oportunidades de vida. Um servidor é o responsável pelo encaminhamento da documentação para a Polícia Federal, que emite os documentos necessários para que os imigrantes possam residir e trabalhar no município.

Somente em 2024, já foram cadastrados 45 venezuelanos, 16 argentinos, 11 haitianos, 4 cubanos, 2 dominicanos, 2 congoleses, 1 uruguaio e 1 ucraniano.

Exagero

O Uruguai tem apenas cerca de 3,5 milhões de habitantes: a Austrália conta com 48 milhões de cangurus. Então dá 14 destes marsupiais por habitante.

Importações coloniais

Comemora-se o St. Patricks neste final de semana, dias 23 e 24. É mais uma amostra do espírito Jeca deste país, eis que nós já temos o Dia dos Namorados.

O comércio criou essa substituição para abrir o famoso nicho de novo mercado. Mas é daquelas substituições que expõem nosso colonialismo.

Noel já avisou

Há anos importamos o panetone da Itália. Para nossa saborosa cuca, nada. Já não bastasse o uso de expressões inglesas no dia a dia.

Algumas delas, verdade, não tem equivalente no português, caso da economia é sobretudo no mercado de capitais. Mas é específico.

Por volta de 1939, o compositor Noel Rosa criou o samba que falava da invasão inglesa para aculturados.

O cinema falado/É o grande culpado/Pela transformação/ e termina com I love you.

Até tu, corretor?

Até o corretor de textos entrou na onda. Quando digitava o texto acima, na parte final, o crítico grafou “YouTube ” e depois ‘Toyota”. O corretor está ficando cada vez mais burro.

Ao diabo que te carregue, robô

O maior aborrecimento de quem usa a Internet combo advento da IA. O primeiro é o robô-pesca-palavras, um desaforo sem tamanho. Só por isso quem o usa já merece um lugar bem quentinho no inferno.

O legume do milênio

É a abobrinha. Além do seu uso culinário, ela está presente em todas as redes sociais em forma de textos e vídeos. Antes, o que dava mais era chuchu em cerca, hoje é a abobrinha.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre