Search
Search

Café à mineira

Um mineiro dos bão estava de olho na comadre há um bocado de tempo. Então quando o compadre foi viajar ele foi em cima da mirada, a pretexto de ver se ela não carecia de alguma coisa. Sabem como é a solidariedade na gente simples do interior.

Quando chegou no ranchinho, viu que a mulher estava de costas, curvada, com o vestido arregaçado para colher alguma verdura. Ao vê-la nessa posição, o visitante ficou em situação de cenoura. Das grandes.

Depois de admirar a paisagem por algum tempo, ele bateu palmas, forma de se anunciar nas interioridades. Ela se ergueu para ver quem era. Abriu um largo sorriso.

– Oi cumpade, é ocê! Num tinha lhe visto.

– Pois é, passei assim de relancina e vim aqui ver se minha amiga percisava alguma coisa.

Ela o convidou para entrar e ficaram ambos meio sem jeito depois que os olhares ficaram um tiquinho de tempo a mais que o normal em uma visita. Ele olhou para o céu.

– Será que chove?

– Pois é, né, nunca se sabe…

Seguiu-se um breve silêncio. Mas a coragem veio em seguida, saltitante.

– Comadre…eu estava pensando…. diga uma coisa: vamos para a cama ou tomamos um café?

– Ah, compadre, cê me pegou sem pó…

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre