Search
Search

As perninhas da centopeia

Fabulinha

A centopeia-marido saiu cedo de casa e bateu as cem perninhas em busca de comida. Só não saiu antes porque ela e a centopeia-esposa dormiram abraçados. E, para se desvencilhar das pernocas, levou muito tempo. A gente pode se dar por feliz por não usar sapatos, pensou a centopeia-marido. 

Não foi um dia bom. Os insetos que ele gostava de devorar estavam e falta, teve que fugir de predadores. E assim por diante.

Voltou para casa exausto e sem comida para a mulher. Explicou que fora um dia daqueles. Antes de dormir, fez um pedido.

– Mulher, me faz massagem nos pés.

Não foi uma pergunta, foi uma ordem. Amuada, a centopeia-esposa ficou um tempão massageando as cem pernas do marido, que ainda reclamava que estava com câimbras.

Trabalho, feito, ela foi dormir resmungando. Bem que ela poderia ter nascido cobra, ou pelo menos ter casado com uma, se isso fosse possível. Cobra não tem pernas, pensou, que moleza ser mulher de cobra.

Moral da história: casar com um marido que rasteja tem lá suas vantagens.

Fernando Albrecht

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

Deixe sua opinião

Publicidade

Publicidade

espaço livre